O nosso entrevistado do mês de Setembro e para estrear nossa sessão de entrevistas é o Preparador Reinaldo Pastorelli da oficina de preparação REINJET RACING. Confira.

Nome: Reinaldo Marcelo Pastorelli
Idade: 5/01/74
Apelido: não tem
Cidade Natal: São Paulo/SP
Profissão:
Preparador
Hobbies:
Velocidade

 1. De onde veio o interesse para trabalhar com carros de alta performance?
Desde a adolescência, quando participei de campeonato de kart e o meu pai sempre teve carro preparado.

2. Com quem ou como você aprendeu a trabalhar com esses carros?
Parte da experiência com carros foi com o meu pai, porém muito do que eu sei hoje foi pesquisando, além de cursos que fiz em São Paulo.

  1. Onde começou a sua empreitada como preparador?
    Na oficina do meu pai no Turu, conhecida como O Rei dos Carburadores, no ano de 88 a 92, depois disso passando para a própria REINJET que localizava-se na Ivah Saldanha até o ano de 2000, passando depois para o atual endereço no bairro do Ipase.

  2. Quanto tempo você trabalha com esses carros?
    Desde os 15 anos de idade que trabalho com carros e após o primeiro campeonato de arrancada passei a dar mais ênfase aos carros preparados.

  3. Ao longo do tempo pensou em mudar ou desistir dessa carreira?
    Já mais nunca consegui por gostar tanto do esporte.

  4. Qual o projeto você considera até hoje o mais trabalhoso de ter sido concluído?
    Os motores chevrolet, por ser uma novidade, disperta meu interesse tendo que ser desenvolvido desde o inicio, sem receitas prontas.

7. Você tem ou já teve algum carro de arrancada? Como foi a experiência?
Hoje em dia eu não tenho, porém já tive, um gol e um opala, sendo um turbo e o outro aspirado respectivamente.

  1. Qual a sua lembrança sobre a época em que os “Rachas” eram praticados em locais impróprios? Tem algum fato importante que possa dividir conosco?
    Na época de Gênesis e Paço do Lumiar, sempre lotado com carros bons, boas lembranças.

  2. Você acha que a pista IlhaRace, beneficiou para o fim total das corridas ilegais?
    Concerteza. Dou o conselho para todos da minha equipe, para que não corram na rua.

  3. Conte uma experiência engraçada já vivenciada por você ou por pilotos da sua equipe.
    Um piloto da minha equipe, com um carro muito bom, não conseguia fazer um tempo bom para entrar nos ponteiros da prova, ele estava com o carro alinhado com outro da equipe de outra categoria, esse de outra categoria arrancou e ao chegar no final o mesmo pegou fogo, o piloto que ficou parado ao ver que o carro do amigo estava pegando fogo, acelerou e ao socorrer o amigo, acabou conseqüentemente fazendo o melhor tempo da pista.

11. O que você espera para o futuro da arrancada maranhense?
Que cada vez melhore, profissionalizar mais ainda, motivando assim os preparadores e pilotos.

 12. Você pretende passar os seus conhecimentos para alguém e dar continuidade a sua oficina de preparação?
Eu sempre fui um livro aberto, nunca tentei frear ou reter o conhecimento só para mim.

  1. Que conselho você daria pra quem está pretendendo entrar no mundo da velocidade?
    Começar nas categorias de base para adquirir conhecimento e know-how para ai sim ir melhorando junto com o carro, pois não adianta começar em um carro força livre se você não sabe tocar nem sequer um carro 1.0.

  2. Qual carro antigo que te fascina até hoje? Porque?
    Opala, pelo ronco e pela história em si.

  3. E um carro novo?
    Honda Civic Si e um Bugatti Veyron (risos)

  4. Só para encerrar, você gostaria de deixar algum recado para os leitores do 200milhas?
    Gosto muito da iniciativa do pessoal do site, pois existe uma carência em São Luís do pessoal que mexe com velocidade.