O nosso entrevistada nesse mês será o colecionador de miniaturas Jean Carlos Oliveira de Lima. Lembrando que você pode ajudar nessa sessão do site, indicando quem vocês gostariam de ver por aqui, também enviando perguntas pelo e-mail [email protected]

 

Nome: Jean Carlos Oliveira de Lima
Idade: 32 anos
Apelido: Jean JL
Cidade Natal: Bacabal MA
Profissão: Técnico em Radiologia.
Hobbies: Colecionador de miniaturas. (na verdade coleciono muitas coisas, CD’s, DVD’s, camisas de time e revistas)1 – Qual foi a sua primeira mini e como a conseguiu?

A primeira miniatura eu não me recordo, comecei a colecionar no anos 2000, meio que aleatoriamente, dei uma pausa e em 2005 eu recomecei minha coleção, dai levei mais a sério e estou até hoje, em 2005 minha primeira miniatura, na verdade foram 2, um cadillac e uma El Camino, ambos da hot wheels, comprei numa loja do seguimento e dai não parei mais (risos).
2 – Quando surgiu a paixão pelo colecionismo?
Acredito que foi na infância um tanto dificil, poucos brinquedos, não tive oportunidade de ter tudo o que eu gostaria ou pelo menos parte do que gostaria, dai a paixão por carros se juntou aos desejos de infância, e como não dá para ter todos em escala real, vamos para as miniaturas.
3 – Você tem uma marca, ou escala preferida, a sua coleção tem um foco definido?
Marca definida, não tenho, escala sim, minha escala favorita é 1/64 ( 64 vezes menores que os carros de verdade, ditos 1/1), e agora tenho pego algumas minis na escala 1/43 (43 vezes menor que os carros de verdade) Meu foco são os muscles car’s, carros americanos, em especial Mustang’s e Shelby’s, mas gosto de todos, Camaros, Corvettes, Pontiacs e por ai vai, tenho um gosto especial por carros de filmes e carros de corridas, então posso dizer que gosto de tudo um pouco.
4 – Como você acondiciona as suas miniaturas, qual é o cuidado que você tem com elas?
A grande maioria fica em estantes, separadas por nichos, cuidados, eu sempre que posso, limpo, dou uma rodadinha nelas pra que as rodas mudem de posição pra não correr o risco de achatarem, e não toco nelas com as mãos sujas hehehehe. Basicamente isso.
5 – Como você consegue as suas miniaturas, através de quais veículos você as adquire?
Nas lojas físicas, mas a grande maioria de minha coleção eu pego na internet, sites do gênero, com vendedores do facebook.
6- Qual é a sua opinião sobre o momento atual do colecionismo no Brasil e no Mundo?
O momento atual no colecionismo é de crescimento, mas que ao mesmo tempo pode brecar
Pois a principal marca de miniaturas não da atenção merecida ao colecionador nacional, a mattel (hot wheels) não valoriza nosso mercado, traz lotes não sequenciais, não traz lotes colecionáveis a contento, e agora achou de mesmo na crise, aumentar o valor das miniaturas em R$ 1,00. Então da mesmo forma que está em crescimento, continua sem a atenção merecida, mas felizmente nem só de Hot Wheels vive o colecionador, temos muitas marcas que em escala 164, capricham muito nas suas miniaturas e isso tem levado aquele colecionador mais antigo a deixar os hot wheels e rumar para outras marcas mais detalhadas, deixando de comprar 6 ou 7 HW pra pegar uma miniatura de uma marca mais especial.
7 -Você costuma participar de Eventos, Encontros, Feiras e Convenções de Colecionadores ? Qual destes eventos marcou a sua vida como colecionador ? Você tem alguma história que tenha ocorrido em um destes eventos ?
Aqui em Bacabal eu fiz uma exposição de minha coleção com outros colecionadores da terra mesmo, um encontro de verdade, ocorreu em São Luiz, no ano de 2012 e teve sequência em 2013 inclusive, com cobertura especial do 200milhas no evento, esse ano é bem provável que vá ocorrer um outro, no mês de Junho, com data a confirmar, nos encontros a gente tem oportunidade de interagir com os amigos que tem a mesma paixão, as histórias são muitas, mas se dão mais pela surpresa dos visitantes que vão ao evento, que olham tantas coleções legais, tantas minis, nas mãos de adultos, alguns se espantam ao ver que “os brinquedos” tem como donos, marmanjos, barbados, pais de família, muita gente me pergunta se a coleção é minha ou do meu filho, enfim.
8- Qual foi a maior loucura que você já fez por uma miniatura ? Qual foi o maior valor pago por um modelo?
Loucura são várias, desde sentar no chão da loja pra fuçar nas gondolas, nas caixas, de ficar acordado até tarde esperando os amigos vendedores publicarem seus álbuns de vendas, de parar no meio de uma cidade numa viagem a trabalho e perguntar onde tem uma loja de brinquedos que você possa fazer uma caçada, são inúmeras loucuras que fica difícil citar uma em especifico, sobre valores, prefiro não comentar, hehehe, porque para mim o valor monetário é o último que eu aplico à minha coleção.
9 – E qual é a mini mais importante do acervo pra você?
Eu não tenho uma mini especial, todas tem o mesmo valor, desde a mais simples a mais especial, cada uma tem uma história, o que eu tive que fazer pra consegui-la, o quanto tive que esperar, que correr atrás, então cada uma é especial.
10 – Você tem um lugar ou local especial na sua casa ou escritório onde você expõe suas miniaturas?
Elas ficam em estantes, tipo colmeia por toda a casa, na sala no quarto, algumas ainda estão lacradas e dentro de caixas, mas 80% de minha coleção está aberta e em estantes a vista de quem estiver por perto.
11 – Além das miniaturas de carros de metal, o que mais você coleciona ?
Coleciono camisas de time de futebol, em especial do Flamengo, CD’s, DVD’s e Revista Placar.
12 – Qual a dica que você poderia dar para os colecionadores que estão começando, e que ainda não sabem por onde seguir?
A dica é a que eu dou sempre, colecione pro seu prazer, pra você mesmo, colecione o que você gosta e o que você pode pagar, no inicio a gente acaba se empolgando e pegando tudo o que vê pela frente, na euforia, na febre de querer sempre mais, em geral colecionador iniciante quer logo ter uma número respeitável de miniaturas, mas que depois que passa a febre, vai ver que pegou muita coisa que não lhe agrada, então curta cada aquisição, cada miniatura, tire do blister, dê uma cheiradinha, faça um teste drive, curta ao máximo, a coleção tem que te dar prazer e não te trazer problemas, nesse meio, como em todo meio, tem gente boa e ruim e infelizmente tem colecionador invejoso. E cuidado com os espertalhões que se aproveitam dos iniciantes, e boa sorte com a coleção.
13. Chegou a sofrer preconceito quanto a isso?
Todo colecionador um dia já ouviu: “Um cara desse barbado, comprando carrinhos pra brincar”, ou “Com certeza esses carrinhos não são para ele”, todo colecionador já sofreu algum tipo de critica, mas isso é normal a gente apenas releva, tem colecionador que já perdeu namorada por causa das miniaturas, conheço um aqui da minha cidade, mas isso hoje, pelo menos comigo ninguém mais estranha, até ganho miniaturas de presente no meu aniversário.
14. O que a sua família acha disso tudo? Eles apoiaram no começo?
Minha família hoje acha normal, mas no inicio recebi algumas criticas mas nunca me importei, afinal eu pago as minis com o meu dinheiro, então se diziam ou dizem algo eu nem ligo.
15 – Você tem algum ídolo no colecionismo nacional? E internacional?
Ídolos não, tenho inspirações nesse meio, são tantos amigos que nem vou citar pra não correr o risco de ser injusto com alguém, mas te digo, nesse meio tem muita gente boa, muita gente disposta a te ajudar, a te passar a miniatura que você tanto busca, muita gente boa que faz esse hobby ser mais especial ainda, as minis acabam sendo uma vertente pra fazer novos amigos, e acabam ficando em segundo plano, fiz amigos nesse meio, mesmo que só por contatos virtuais, que dou mais valor que muita gente que conheci pessoalmente.
16 – Só para encerrar o nosso papo. Você gostaria de deixar algum recado para os leitores do 200milhas?
Quero deixar um abraço a todos, agradecer a oportunidade, parabenizar pelo 200milhas, que faz um trabalho legal, nos eventos, e dizer a todos que se quiserem algumas dicas algumas recomendação, que me procurem no meu facebook, e dizer que continuem acompanhando o trabalho tão bacana da galera do 200milhas. Abracos!