O nosso entrevistada nesse mês será o piloto de Rally cross Country,  Fabio Cadasso. Lembrando que você pode ajudar nessa sessão do site, indicando quem vocês gostariam de ver por aqui, também enviando perguntas pelo e-mail: [email protected]

 

Nome: Fábio Verás Freire
Idade: 47
Apelido: Cadasso
Cidade Natal: São Luís – MA
Profissão: Empresário
Hobbies: Esportes radicais, principalmente os de velocidades

01. Como você entrou no mundo da velocidade?

Como entrei no mundo da velocidade: comecei em 1992, comprando minha primeira moto de trilha, para participar de enduros. Mas no mundo da velocidade mesmo, comecei com o Rally Indoor, sendo campeão Maranhense em 2008 e assim me apaixonei e continuo até hoje.
02. Com que idade e veiculo você começou a “brincar” no mundo Racing?

No mundo Racing, como já falei acima, de moto, mas de carro comecei em 1995, participando de Rallys de Regularidade. Com um Suzuki Samurai, no ano de 1995, consegui um segundo lugar. No ano de 1996, a bordo de uma L200, consegui um Terceiro lugar. As duas competições foram no Piocerá, competição de nível nacional e assim vieram outras até chegar na velocidade

Meu primeiro contato com Rally de Velocidade, foi em 2008, quando houve o primeiro campeonato de Rally Indoor em São Luís. E desde então não parei, lá se vão 7 anos de paixão pela velocidade 4×4
04. Em que categorias competiu?

Já participei em várias categorias. Comecei nos Enduros de Regularidades ( moto), depois participando de Rallys de Regularidade de carros 4×4, chegando então na velocidade. Veio os Rallys Indoor de Velocidade e finalmente os Rallys Cross Crountry de Velocidade, competindo nas categorias Caminhões Leves e na Production T2.

05. Qual prova foi inesquecível, e qual você gostaria de apagar da memória?
A prova mais incrível foi o Rally dos Sertões de 2012, meu primeiro Cross Crountry. Pois após um susto de ter ficado parado dois dias, com problema mecânico no caminhão, no dia que realmente corri, consegui um primeiro lugar na categoria e correndo dentro do Maranhão com o apoio da torcida ( entre Barra do Corda e Carolina, meu quintal);
Não tenho prova que gostaria de apagar, pois apesar do mal momento, sempre adquirimos experiência.

06. Como começou a sua história com a Ford Racing Trucks/Motorsports?

Quando resolvi participar do Rally dos Sertões 2012, resolvi participar na categoria dos Caminhões, pois sempre admitirei aqueles caminhões grandes nas trilhas. E como tinha conseguido ser Campeão Brasileiro de Rally Indoor em 2011, veio o convite do Edu Piano, chefe de equipe da Ford Racing Trucks/ Território Motor Sport, para competir na categoria Caminhões Leves.

08. Alguma vez você pensou em parar e abandonar tudo? Por quê?

Ainda não tive a vontade de parar. Tenho sonhos a realizar: Ser Campeão do Rally dos Sertões, que espero este ano conseguir e correr o Dakar, de preferência ser Campeão também!

09. Quais os objetivos desta temporada?

Meus objetivos para este ano são: Ser campeão na Categoria Caminhões Leves dos Sertões 2014, ser Bicampeão Paulista e Bicampeão Brasileiro de Rally Cross Crountry e Bicampeão dos Sertões Series;

10. Vai correr o Rally dos Sertões este ano? Conte-nos um pouco da sua experiência neste rally.

Minha vontade é sim de participar, tenho treinado, mas ainda estou na busca de patrocínio. E esta é a parte mais mais difícil da prova!

Já participei dois anos dos Sertões, já aprendi muito, mas ainda tenho muito a aprender. O maior treino para os Sertões, é participar cada vez dele, pois cada vez aprendemos algo novo e só na prova é que vamos pegando a experiência.

11. Você sente mais emoção no Rally Cross Country ou Rally velocidade? Por que?

Todos dois sao velocidade, sempre correndo contra o relógio, em busca de um pódio. Gosto de vencer, mas sempre me preocupo em chegar. Todos dois tem muita emoção;

12. O que a sua família acha disso tudo? Eles apoiaram no começo?

Sempre tive o apoio da minha família, principalmente da minha esposa, pois sem este apoio, acredito que tudo seria mais difícil. Passamos tempo viajando, concentrado nas corridas e ela tomando de conta de tudo e ainda se preocupando comigo.

13. Como você acha que o Rally pode atrair mais interesse do público e mídia?

O Rally Cross Crountry é um pouco difícil de ser seguido, mas notamos um interesse das pessoas pelas cidade por onde passamos. Acho que se houvesse um acesso maior aos bastidores, aos carros, às equipes, as pessoas poderiam saber mais e assim pilotos, navegadores, chefes de equipe, mecânicos seriam teriam mais reconhecimento.

14. Qual seu grande ídolo no Rally nacional? E internacional?

Tenho como ídolo nacional e considero professor é o Edu Piano, da Território Motor Sport. Seis vezes campeão dos Sertões e além de ótimo piloto, um excelente chefe de equipe. Como ídolo internacional, o Stéphane Peterhansel, sempre se mostrando concentrado e focado na competição.

15. Só para encerrar o nosso papo. Você gostaria de deixar algum recado para os leitores do 200milhas?

Sempre busquei meu sonhos, que era ser Campeão de Rally, a nível Nacional. E continuo sonhando, em ser Campeão dos Sertões e de ser campeão Internacional, do Dakar. Devemos sempre ir em busca dos nossos sonhos, mesmo parecendo difícil de alcançar.

Desistir? Nunca!

Um abraço a todos os leitores e fiquem na torcida por mim!